27/01/2014 -

Parte da frota, oriunda da Avenida Augusto Montenegro e BR-316 vai percorrer o corredor exclusivo da Avenida Almirante Barroso

A partir de 31 de janeiro, com a entrega das obras na Avenida Almirante Barroso, dezenove linhas da Região Metropolitana de Belém terão 30% da sua frota circulando de forma expressa do Entroncamento a São Brás. O modelo irá garantir que passageiros de nove linhas da Avenida Augusto Montenegro e de dez linhas oriundas da BR-316 tenham opção de percorrer a Avenida Almirante Barroso de forma expressa, sem paradas para embarque e desembarque na via, economizando em média vinte minutos no tempo de viagem nos horário de pico, seja no sentido bairro-centro ou vice-versa.

A escolha pela linha expressa será feita nas Av. Augusto Montenegro ou na BR-316 antes do Entroncamento. Basta que o passageiro atente aos avisos de EXPRESSO fixados na lateral e vidro do ônibus indicando o formato do itinerário na Almirante Barroso. O mesmo vale para quem quiser sair do centro no sentido bairro de forma expressa. Esse passageiro poderá escolher a forma de seguir na Av. Almirante Barroso em todas as paradas antes de o veículo entrar na canaleta em São Brás, a partir de onde os ônibus seguirão destino sem paradas para embarque e desembarque.

As linhas expressas foram selecionadas após uma pesquisa realizada pelo departamento técnico de transportes da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (SeMOB), que detectou quais daquelas que trafegam na Av. Almirante Barroso têm pouca demanda de parada de ônibus na avenida.”São ônibus que já partem lotados do destino e que o objetivo do usuário é o centro de Belém, sem necessidade de embarque e desembarque na Almirante Barroso”, explica Gilberto Barbosa, diretor geral da SeMOB.

Terão veículos expressos as seguintes linhas da Augusto Montenegro: Icoaraci-Almirante Barroso (incluindo linhas do Paracuri I e II), Tapanã -Ver-o-Peso, Tapanã II – Ver-o-Peso, Codeiro de Farias-Presidente Vargas, Cordeiro de Farias -Ver-o-Peso, Canarinho Tapajós – Ver-o-Peso, Conjunto Maguari – Ver-o-Peso (Almirante Barroso), Tenoné- Presidente Vargas e Cabanagem – Ver-o-Peso. Da BR-316, as linhas expressas são: Cidade Nova V – Ver-o-Peso, Paar-Ver-o-Peso, Ananindeua – Presidente Vargas (Aurá), Cidade Nova VI – Presidente Vargas, Cidade Nova VIII – Presidente Vargas, Ananindeua Presidente Vargas (Águas Brancas), Almir Gabriel – Ver-o-Peso, Jiboia Branca – Ver-o-Peso, Guanabara – Centro (via Presidente Vargas) e Cidade Nova IV – Ver-o-Peso.

“Só com a abertura dos elevados, já houve uma diminuição no tempo de viagem de quem vem de Icoaraci ao centro em até 30 minutos, e de quem vem da BR-316 ao centro em até 40 minutos. Com a média de 20 minutos que se espera ter de economia com os veículos na canaleta em horários de pico, a viagem será ainda mais rápida”, explica Gilberto Barbosa.

A última parada dos ônibus que vêm da BR-316 antes do Entroncamento será no shopping Castanheira. Na Augusto Montenegro, a última parada antes do ônibus virar expresso é próximo ao posto de saúde. Em São Brás, a primeira parada dos ônibus que saem da canaleta é na escola Benvinda de França Messias. De lá, os veículos seguem pela José Bonifácio para acessar a José Malcher. No sentido centro-bairro, a última parada em São Brás antes da canaleta fica no abrigo localizado na baia segregada próxima ao mercado.

Ao todo, cerca de 100 veículos deverão circular na canaleta, com velocidade média de 50km/h. O tempo semafórico será sincronizado para que os ônibus parem o mínimo possível em semáforos.

Além de diminuir o tempo de viagem até o centro ou até o bairro, o início da operação expressa trará outros benefícios do ponto de vista do trânsito, que contará com menos veículos trafegando nas demais pistas da Av. Almirante Barroso como acontecia pela sobreposição das linhas que percorrem o mesmo caminho até chegar ao destino no centro. Também é um primeiro ‘exercício’ da população para o futuro sistema do BRT.

“O sistema BRT depende das obras da Augusto Montenegro para funcionar com os ônibus articulados, mas a Caixa Econômica Federal financiadora da obra, exige que seja dada uma alternativa de funcionalidade imediata ao espaço, o que também é o pensamento do prefeito Zenaldo Coutinho. As linhas expressas já são uma forma de melhorar o deslocamento do passageiro nesta etapa intermediária, e ainda desafoga o trânsito. Sem contar que o usuário passa a experimentar uma forma de circulação diferente”, avalia Maisa Tobias, superintendente da SeMOB.

Os passageiros da Av. Almirante Barroso ainda contarão com as demais linhas circulando em sua totalidade na avenida e, por isso, não terão seu serviço afetado. Mas outros estudos estão em andamento para em breve fazer novas alterações e cada vez mais otimizar a circulação dos ônibus na área.

Texto: Elianna Homobono e Esperança Bessa – Ascom SeMOB
Fotos: Comus
Edição: Tânia Menezes